A síndrome metabólica é formada pelo sobrepeso ou obesidade, resistência à insulina e intolerância à glicose. Pode acompanhar diabetes, alterações lipídicas, hipertensão, hepatopatia e apneia do sono. Mas, você deve estar pensando….E o que ela tem a ver com o câncer? Ela aumenta o risco de câncer e a sua recorrência em pacientes que já tiveram o câncer. Outro dado importante e que pacientes com IMC ≥ 30kg/m² aumentam o risco para metástase em 10 anos! (Chan et al, 2014)
A inter-relação Síndrome Metabólica e Câncer de Mama é complexa, depende de mecanismos celulares e moleculares, influência hormonais, genéticas, inflamatórias e ambientais que irão atuar primeiramente na paciente como um todo e depois no tecido adiposo, na célula neoplástica e no microambiente tumoral. (Goodwin et al, 2015; Sincrope et al, 2011).
E como podemos então intervir? Através da perda de peso, acompanhada de exercícios físicos e restrição calóricas. Portanto a inclusão de hábitos de vida mais saudáveis é de extrema importância para nossa qualidade de vida.
Compartilhe com quem você ama