Terapias baseadas em exercícios seria uma medida fundamental para combater os efeitos do tratamento anticâncer e os efeitos das viagens espaciais! Um estudo recente mostrou que as experiências relacionadas às viagens espaciais podem ajudar a mudar o cenário de cuidados e o gerenciamento dos efeitos colaterais relacionados aos tratamentos oncológicos. Nas últimas décadas, a NASA desenvolveu um programa de contramedidas de última geração (CMP) para compreender e combater as consequências fisiológicas deletérias dos voos espaciais, estas pesquisas poderiam ajudar a elucidar e minimizar as toxicidades fisiológicas de pacientes oncológicos. Estes pacientes, assim como os astronautas estão sujeitos de maneira muito semelhante à toxicidades fisiológicas multisistêmicas. Os fatores de risco comparáveis seriam as consequências diretas e indiretas do voo espacial e dos tratamentos antineoplásicos. Os cientistas têm estudado, por exemplo, que o condicionamento físico pré voo ou pré-diagnóstico podem otimizar a preparação, a tolerabilidade e a recuperação de terapias antineoplásicas.

 

 

 

 

 

 

As conclusões do estudo  apontam:

  1. Existe uma caracterização multissistêmica e continuada desses efeitos fisiológicos (diagnóstico, durante e após o tratamento) assim como experimentada pelos astronautas.
  2. A importância de medidas de prevenção e gerenciamento de toxicidade através de uma intervenção baseada em terapia por exercícios: antes, durante e após o tratamento.

Aqui fica a nossa dica: estes benefícios estão ao nosso alcance, não precisamos ir até a lua!

Compartilhe com quem você ama